Refém do desrespeito, Itaquá vira a cidade que não dorme

Refém do desrespeito, Itaquá vira a cidade que não dorme

4
Compartilhar

Mais de dez carros com paredões de som enfileirados e ligados ao mesmo tempo e em volume máximo incomodam durante as madrugadas de quarta-feira e nos finais de semana
Mais de dez carros com paredões de som enfileirados e ligados ao mesmo tempo e em volume máximo incomodam durante as madrugadas de quarta-feira e nos finais de semana

Amarildo Augusto

Da Redação

Sitioclub dos Paredão. Enquanto a grafia do nome do local castiga a Língua Portuguesa, o som ensurdecedor produzido pelos vários carros e caminhões instalados com o chamado “paredão” de som que ficam ali todas as quartas-feiras e fins de semana castiga o sono de famílias de vários bairros de Itaquaquecetuba.

Na última quinta-feira, 14, centenas de pessoas usaram as redes sociais do Jornalitaqua.com para protestar e pedir providências do poder público contra o barulho provocado pelos equipamentos durante a madrugada anterior.

A maioria não sabe que o barulho vem desse sítio, localizado na estrada Mário Covas, no Miguel Badra, 1060, nas proximidades do futuro Itaquá Garden Shopping. Mas seus promotores não parecem estar nem um pouco preocupados em se manter no anonimato.

Na página do Facebook do Sitioclub dos Paredão, eles anunciam a “Quarta-feira Sem Lei”, com entrada, estacionamento e tequila de graça, além de combos promocionais para os “paredões” que chegarem antes da meia-noite. Em várias fotos postadas, é possível ver até dez veículos enfileirados. Nos vídeos, vê-se que todos ficam ligados ao mesmo tempo.

Ninguém dorme

A localização e a geografia da região onde fica o sítio e a intensidade absurda do som causam transtorno para moradores de bairros. Há relatos indignados de pessoas que vivem na região central da cidade, Vila Maria Augusta, Paineiras, Jardim Gonçalves, Morro Branco, Pedreira, Parque Viviane e até os bairros Estação e Vila Virgínia, localizados a quilômetros dali.

Leticia Turaça foi uma delas: “Nossa que coisa. Hoje pela madrugada tinha um som muito alto no Vila Virginia”. Mariza Marques confirmou: “Verdade. Ouvi sim no Virgínia”. Mesma situação de Flávia Sampaio: “Moro no Virgínia e também escuto o som”.

Em outras localidades, as reações foram de indignação. Cléia Araújo Moreira relatou: “Aqui próximo da estação Aracaré ninguém dormiu. Disseram que foi no Badra. Só por Deus viu. E a pergunta é a cidade inteira escutou. Só os policiais conseguiram dormir? Como assim? Eles não ouviram não? Palhaçada!.

Silene Romeiro Moro: “No Jardim Gonçalves eu mesma fui dormir quase 3 horas da madrugada e ainda estava esse barulho todo que não sabemos de onde vem. Não é possível que ninguém more próximo deste local e ainda não denunciou! Será que só nós que estamos incomodados?”.

Celso Ferreira também questiona as autoridades: “Aqui na Vila Japão dava pra ouvir em plena duas e meia da madrugada um som muito alto. E a tal lei do silencio?”. Parecido com o pensamento de William Venancio: “Pedreira fica insuportável. A cidade toda ouve menos a polícia”.

Prefeitura

A fiscalização de violações à Lei do Silêncio cabe ao departamento de Posturas das prefeituras. Em Itaquaquecetuba, desde o ano passado a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar tem feito operações conjuntas regularmente com o objetivo de fechar o cerco contra o som alto de estabelecimentos comerciais, bares irregulares, festas clandestinas e veículos conhecidos como pancadão.

A atuação do Sítioclub dos Pancadão, segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura já é conhecida da Prefeitura, que garante já ter agido, porém sem resultado. E que agora a situação será encaminhada para a Justiça: “Por duas vezes, o local foi embargado e multado no valor de cerca de R$ 1,5 mil pela municipalidade. Diante do desrespeito ao embargo, a Prefeitura encaminhará o caso ao Ministério Público para providências”.

4 Comentários

  1. Pois é, não estamos mais aguentando essa situação. Alguma autoridade nesse Municipal tem que tomar uma providência. É um total e completo desrespeito com cidadãos de bem e trabalhadores. Socorro

  2. Eu também infelismente estou passando por este drama aqui no jardim coqueiro todo final de semana vivo este inferno tem uma chácara próximo a minha entre as ruas rochedo de minas e rodeio bonito que a bagunça começa na sexta feira e so termina no domingo estou morando aqui faz dois meses mas já estou arrependido de investir em itaqua ;você fica refém destes arruaceiros ea policia dis que e problema da prefeitura

  3. Aqui na chácara coqueiro também está terrível, agora mesmo tem uma chácara ao lado do finado sei demoques na estrada do tronco que não tá deixando ninguém dormir, até quando itaqua vai ser esta terra sem lei????

DEIXE UMA RESPOSTA